NOTÍCIAS

Da lavoura para a grama, há 20 anos Nego trabalha porque gosta do que faz
 
Dos 50 anos de idade, quase 20 deles foram passados ali. "Nego", é um dos funcionários mais antigos da Grama Pontal. Começou na lavoura, trabalhou nas fazendas de Nova Alvorada do Sul, depois São Gabriel do Oeste, até chegar em Campo Grande.
 
Pelo nome de registro, Eliziário Pinto, quase ninguém o conhece. "Minha irmã mais velha que colocou quando eu era moleque, ela quem me apelidou e desde que me entendo por gente, era Nego, aí ficou até hoje", conta rindo. E apesar de daqui do Estado, o time do peito é o Grêmio. "Por que quando comecei a entender de futebol, ele estava no auge", explica. 
 
Entre a lavoura e a grama, a diferença, segundo ele, está no manejo. "Mas é praticamente a mesma coisa. Hoje meu trabalho é a parte de administração da fazenda, de gerente. Se é bom? Ô se é, é gostoso", descreve. Na lida diária, ele gerencia o trabalho de mais oito funcionários na manutenção e limpeza.
 
A fazenda também é sua casa. A sede é onde ficam os quartos, sala e a varandinha, onde ele senta para contar um pouquinho de si. "Aqui mora eu e a minha esposa. As filhas visitam nos finais de semana, no que elas não vêm, a gente que vai, é lá em Nova Alvorada", conta.
 
A esposa é Clair, mais conhecida como "Tatinha", com quem Nego tem duas filhas. De sorriso aberto, é ela quem prepara todas as refeições dos funcionários, do café à janta. No dia da entrevista, por exemplo, o cardápio era arroz, feijão, mandioca, costela e salada. E o cheiro que vinha da cozinha, falava por si só.
Os dois têm 29 anos de casados. "A gente se conheceu no Paraná e veio pra cá. Casamos e eu fiquei na empresa também", resume Clair Pinto. 
 
E o que é a Grama Pontal para o Nego?
 
"É muita coisa, meu ganha pão. A gente trabalha, porque gosta do que faz e a sensação de pegar na grama? Não sei te falar. É muito boa. Meu principal cuidado é para não pegar praga. Então vai água, limpeza e tirar as ervas daninhas, isso tem que estar fazendo sempre", descreve.

 

(por Paula Maciulevicius)